NEGÓCIOS

Insight 1 da HSM Expo | Educação executiva

O primeiro dia de Educação Executiva teve: Thomas Eckschmidt, Martin Reeves, Isaías Sharon, Paula Bellizia e Jim Collins (dizendo o conteúdo que participei, pois rolou muita coisa por lá acredite!).

Insight 1 da HSM Expo | Educação executiva

A HSM Expo foi uma das melhores experiências que já vivi. Por isso, retornei com muitas, mas muitas anotações e palestras transcritas. Dessa forma, colocarei aqui no Momen, alguns insights, e destaques dos melhores momentos. Enjoy!

 

hsm-expo-educacao-executiva-momen-cadu-ferreira-2

Imagem: Openspace

Thomas Eckschmidt – Tema: Capitalismo consciente.

Ele se formou em engenharia pela Poli-USP, fez cursos de finanças, agricultura ecológica, ganhou vários prêmios, como Empresário do Ano pelo PME Estadão, estudou Agribusiness em Harvard nos EUA e é co-autor de 4 livros, publicados no Brasil e nos EUA.

Na HSM Expo, Thomas utilizou o paralelo: “Precisamos dos glóbulos vermelhos para viver, porém essa não é única função de produção do nosso corpo. Da mesma forma, uma empresa não deveria ter exclusivamente o lucro como parte principal do negócio, o foco precisa ser a transformação”. No início, o Google por exemplo, tinha a intenção de apenas digitalizar a informação mundial e torná-la acessível (longe de ser o maior canal de busca do mundo – e suas ramificações). Depois de terem cumprido a meta (de digitalização do que julgaram relevante), o Google foi oferecido a venda para o Yahoo por 1 milhão de dólares, mas a compra foi recusada.

Noutro momento, Thomas pontuou que atualmente, o valor está nos serviços que facilitam o acesso, acesso a qualquer coisa ou benefício, e um grande exemplo disso é o Uber, e disse também que as empresas também tem compreendido que muito além do retorno financeiro, é preciso ganhar os talentos com benefícios e experiências.

Insight: Você está numa empresa com propósito? Thomas proferiu que sem propósito, não há como um líder exigir desempenho e concordo em cada sílaba. Você está numa empresa assim? Se não estiver, pense quanto tempo pretende viver na mesma situação. Emane o clichê: Nunca é tarde! 

 

hsm-expo-educacao-executiva-momen-cadu-ferreira-martin-reeves

Martin Reeeves | Imagem: Openspace

Martin Reeves – Tema: Workshop da Estratégia

Na palestra “Sua estratégia precisa de uma estratégia – Como escolher e executar a abordagem correta”, Martin explanou como as empresas de sucesso tiveram que mudar seus pensamentos. Ele é consultor do BCG (Boston Consulting Group) e autor do livro que leva o mesmo nome da sua palestra, e acaba de ser lançado no Brasil, Martin já soma mais de 1 milhão de visualizações em sua TED Talk ‘Como construir um negócio que dure 100 anos’ (assista).

“Os Consultores atuais, são profissionais que ganham bem e as vezes apresentam soluções obvias mas que os líderes não identificam com tal facilidade. Temos que nos reinventar sempre e gerir/administrar ao mesmo tempo. É como trabalhar com as duas mãos, mas como nem todo mundo é ambidestro, você tem que instruir as pessoas”.

Insight: Nunca se acomode na inércia, esteja sempre em movimento.

 

hsm-expo-educacao-executiva-momen-cadu-ferreira-3Isaías Sharon – Tema: Três ferramentas para o Professional Coach

“Com as diferentes tecnologias, fazemos muitas coisas ao mesmo tempo, e com isso, temos também as frustrações de não obtermos os resultados que buscamos. Elimine tudo que não está te fazendo bem, como os quilos a mais, tudo é uma meta.

E quando você quiser transmitir uma meta para alguém, seja claro/específico! Não tente falar muito para mostrar o quão inteligente você é, pois se ninguém entender sua comunicação, não funciona. Saiba medir os resultados, senão nada valerá, e leve o plano sempre com você, isso é muito melhor do que saber improvisar”, disse Isaías.

Confesso que esta palestra não acompanhei até o final, pois troquei de estação (na HSM tínhamos fones de ouvidos e podíamos trocar de assunto/palestra a qualquer momento, e o assunto que abordarei a seguir me chamou mais atenção.

 

Paula Bellizia

Paula Bellizia | Imagem: Openspace

Paula Bellizia – A 4ª. Revolução Industrial e a transformação digital

Paula abordou um assunto que foi levantado também em outros debates, a questão de que em 20 anos, metade das profissões poderão se extinguir. Tendo essa reflexão, o que estaria atrás da 4ª. Revolução Digital?

A pergunta clássica para quem trabalha com marketing digital também foi feita: Qual a primeira coisa que vocês fazem quando acordam e a última antes de dormir? – Seria checar algo online? Deixa eu pensar…

Paula disse que um dos grandes desafios atuais está em conquistar os bons talentos e que isso é crucial no processo da transformação digital. “A Microsoft é totalmente flexível em questão de horários e serviços, mas a legislação não acompanhou a informatização do mercado de trabalho”, explicou a palestrante.

Algo que a revolução nos trás é o fato da tecnologia começar a nos entender e nos lembrar de afazeres banais. Os equipamentos nos livra de tarefas repetitivas, não aquelas que tomamos decisões. Por exemplo, um teclado que com o auxílio de um app, entende a comunicação do usuário, e começa a sugerir coisas/palavras/textos para ele. A Netflix por exemplo, já divulgou que possui roteiros desenvolvidos integralmente por inteligência artificial. A Volvo possui uma tecnologia que entende quando o motorista está com sono e se ele está em condições de dirigir, de acordo com os reflexos captados e começa a sugerir ações para maior segurança do usuário. Outro exemplo é a tecnologia do Uber que reconhece o rosto do motorista, checa se a conta cadastrada é a mesma de quem está conduzindo o carro, também para maior segurança do usuário. “Já vivemos nessa revolução”, finaliza Paula.

Insight: A tecnologia futurista da antiga ficção científica já existe e pode/deve nos ajudar com tarefas banais, ela surge para facilitar o dia a dia.

 

jim

Jim Collins | Imagem Openspace

Jim Collins – Tema: Em busca de grandeza.

Conhece o profissional que sabe gerar resultados ótimos e duradouros? Então, Jim Collins abriu sua palestra focando nestas criaturas. Também citou os tipos de líderes, como o ‘nível 5’ que ensina como seguir uma causa, e o ‘nível 4’ que ensina a vestir a camisa. “Liderança não tem a ver com poder, com título ou ranking… “Todo mundo conhece grandes gestores, mas eles não são necessariamente bons líderes. Quer saber se você é um bom líder? Pergunte aos seus colaboradores, se eles pudessem trocar você de posição, o que fariam?”, questionou. Mas não se surpreenda se houver bajuladores e a resposta vier de acordo com o que você espera. Saiba também que o bom profissional trabalha quando algo faz sentido. Se você extrair este sentido, perde o colaborador.

 

Ele – como tantos outros palestrantes – ressaltou que é sempre importante valorizar os talentos e não as credenciais. “Não vivemos para o lucro, pois não vamos chegar o fim da vida somente para tomar água e jantar. Temos que ter um propósito. Incentive melhorias, inovações e mantenha os valores. Ou a sua empresa é espetacular ou ela irá desaparecer. Ou ela é fantástica, ou ela vai fechar as portas e dar lugar para quem consiga fazer melhor” disse.

Jim também explanou algo muito interessante: “Se você acha que já chegou onde queria, está a poucos passos da mediocridade. Pense sempre: O que o mundo perderia se fechássemos as portas? Quem sentiria saudade? O planeta sentiria uma falta insubstituível?

De outro lado, reveja suas metas e questione o que te consome. Defina alvos a longo prazo. O objetivo audacioso do Bill Gates era colocar um computador na mesa de todas as pessoas. E você? Qual seu objetivo audacioso?” finalizou com louvor.

Insight: “A empresa não pode durar só por causa de você. É muito melhor construir um relógio que pode contar as horas sem você. A essência de construir um relógio, mostra como construir uma cultura, ao invés de um gênio que tem bons assistentes. A cultura é a estratégia.”

 

Neste momento, o resumo de tudo que absorvi no primeiro dia da HSM parece pequeno, mas confesso também que seria audacioso querer transcrever as 10 horas que passei no Transamérica Expo. Aguardem, pois nos próximo capítulos teremos:

Steve Wozniak, cofundador da Apple;

Claudio Galeazzi, o perito em salvar empresas (ex. Grupo Pão de Açúcar);

Mariana Garcia, da Dale Carnegie falando sobre “Liderança e gestão: parceiros ou concorrentes?”;

Marcio Fernandes, o líder mais inspirador do Brasil, com o tema: Uma Nova Filosofia de Gestão;

Jeremy Bailenson, do laboratório de Realidade Virtual da Stanford University;

Oliver Stone, cineasta que está lançando o filme Snowden: Herói ou Traidor; e falou sobre “Rompendo as Barreiras da Criação”, com participação de Luciano Huck;
Tim Leberecht, falou sobre seu tema famoso, o Business Romantic;

Sofia Esteves, abordou o assunto ‘Estudo sobre as principais tendências que estão mudando a realidade das corporações’;

Flávio Augusto da Silva, CEO do clube Orlando City e do meuSucesso.com, explanou o tema  “Visão, Coragem e Competência”;

Ricardo Amorim, dialogou (como ninguém explana tão bem sobre questões políticas, na minha humilde opinião) “A recuperação econômica vem aí. Você está preparado?”;

E pra finalizar, o autor do livro ‘Jogar para vencer’, Roger Martin falou sobre o tema que dá nome ao seu livro.

Ufa! Não disse que seria muito conteúdo? Aguardem cenas dos próximos capítulos.

 

Declaun persnagens mascotes gif Revista Momen

Compartilhe:
  • googleplus
  • linkedin

Escrito por Cadu M Ferreira

Cadu Ferreira trabalha com Marketing Digital, tendo realizado cursos com renomados nomes do segmento. Gerencia Fanpages, presta consultoria e possuiu um canal no YouTube, no qual compartilha seu conhecimento na área. Possui registro profissional de ator, que o levou a interpretar o vilão Robbie Rotten do musical Lazy Town (Discovery Kids) na América Latina, com produção da TimeForFun, e a integrar o elenco da abertura da novela “Sete Pecados” da Rede Globo. A vivência no mercado de licenciamento e com produções de meeting greetings para a Looney Toones, Cultura Marcas e Exim Group Licensing, serviu para aprimorar o seu olhar criterioso e a lapidar sua atenção aos detalhes. É fundador da paulistana PB Character Entretenimento, hoje Declaun, empresa responsável por campanhas com mascotes para Nestlé, Greenpeace, Google, entre outras. Atuou como gerente financeiro e de mídias da empresa da ADforFun Entretenimento. É apaixonado por novas mídias, desafios, cerveja artesanal e viagens. Hoje se dedica ao projeto www.focolhe.com

There are 1 comments

  • Rafael Nascimento disse:

    Excelente matéria, parabéns pelo conteúdo

  • Deixe um comentário

    Expresse sua opinião.
    Ou deixe uma resposta!

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

    cinco × dois =